SETEMBRO AMARELO | Live aborda perspectivas para o futuro, sexualidade, redes sociais e o adoecimento da juventude

Encontro virtual será transmitido pelo YouTube SEIAS SE, na terça-feira (29)

Com o objetivo de ampliar o debate sobre o adoecimento da população jovem, a Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seias) realiza, na próxima terça-feira (29), a Live “A Juventude no Setembro Amarelo: perspectivas para o futuro, a sexualidade e as redes sociais como vetores para o adoecimento”. Transmitido ao vivo no canal do YouTube SEIAS SE, a partir das 16h, o encontro virtual contará com a participação da Coordenadora de políticas educacionais para a diversidade da secretaria municipal da educação de Aracaju, Maíra Ielena; e do Babalorixá no Centro Cultural Erukerê e coordenador da Mídia Livre Os Caatingas, Matheus Bispo.

Lohanna | Foto: Pritty Reis

Sob a mediação da Referência Técnica em políticas públicas para população LGBTQIA+ da Seias, Adriana Lohanna, a Live busca trazer o diálogo entre esses profissionais e a população para ampliar o debate sobre os fatores e possíveis caminhos para evitar o adoecimento da juventude, sobretudo através do recorte da raça e sexualidade. “Neste momento, discutiremos a prevenção ao suicídio e a saúde mental dos jovens, e como a sociedade, a partir do controle, dos estereótipos e das cobranças, podem levar ao adoecimento os jovens que não conseguem atender a essas demandas e, consequentemente, culminar até em suicidio . Discutiremos todas as violências e coerções sociais que levam a juventude, negra e LGBTQIA+, ao adoecimento social. É muito importante discutir a necessidade do apoio a esses jovens”, explicou.

Matheus Bispo | Arquivo Pessoal

Para um dos palestrantes, Matheus Bispo, é fundamental que a relação entre suicídio e juventude esteja em pauta nas discussões sobre saúde mental e saúde pública. “Os números são alarmantes e o ano de 2020, em especial, nos acende um alerta em relação a como lidamos com a saúde mental em meio aos problemas sociais que vivemos no Brasil e no mundo. Meu objetivo é trazer para discussão o olhar sobre o suicídio na juventude enquanto um problema social, que apresenta progressões e marcas distintivas quando entram em pauta as questões de gênero, de cor e da orientação sexual”, destacou.

Maíra Ielena | Arquivo Pessoal

Partindo para o papel da educação nesse processo de acompanhamento e prevenção dos casos, a coordenadora e também palestrante, Maíra Ielena, levantará alguns questionamentos. “As escolas têm se deparado com práticas de automutilação por parte dos alunos – algumas vezes dentro de suas dependências. Por outro lado, a ideação suicida se faz cada vez mais comum entre crianças e adolescentes, o que tem preocupado bastante os profissionais da educação, que compõem a chamada Rede de Proteção. Diante disso, como a escola deve interpretar essa nova realidade, para conseguir lidar com ela? Como a saúde mental impacta na socialização e na aprendizagem? É importante dialogar sobre os modos de prevenção e acolhimento, bem como a importância das redes intersetoriais que tenham como tripé Educação-Saúde-Assistência Social”, finalizou.

Acompanhe a transmissão ao vivo, pelo Youtube SEIAS SE (clique aqui).

Última atualização: 27 de setembro de 2020 17:09.

Pular para o conteúdo