Sergipe participa de Ato Público Virtual em Defesa do SUAS

Secretária Leda Couto representou o FONSEAS em prol da assinatura do Requerimento de URGÊNCIA do PL 4292/2020

Na tarde da última quinta-feira (27), a secretária de Estado da Inclusão Social, Leda Lúcia Couto, representou Sergipe e o Fórum Nacional de Secretários Estaduais da Assistência Social (Fonseas) no Ato Virtual Público Pluripartidário em Defesa do SUAS [Sistema Único de Assistência Social], tendo como propósito a mobilização para a assinatura do Requerimento de URGÊNCIA do PL 4292/2020, de autoria do deputado Danilo Cabral [PE], que dispõe sobre as Ações Emergenciais para o reforço do SUAS, no atendimento, acolhimento e acompanhamento à população em situação de risco social durante o estado de calamidade pública provocado pela Covid-19.

Mais uma vez, a Frente Parlamentar em Defesa do SUAS, o Colegiado Nacional de Gestores Municipais da Assistência Social (Congemas) e o Fonseas se uniram em incidência política junto a parlamentares, visando à recuperação do orçamento para a sustentabilidade da Assistência Social, bem como a definição de recursos extraordinários para atender as demandas surgidas no cenário da pandemia.

Em sua fala, a gestora sergipana defendeu a união em prol da defesa do SUAS e destacou seus três grandes componentes: a população, seu processo organizativo e os trabalhadores. “Quando a gente olha a população, razão de existir do SUAS, a gente percebe que ela está ficando cada vez mais vulnerabilizada, diante da sobreposição das crises sanitária e econômica à já existente crise social, elevando o quantitativo dessa população em risco social e jogando-a para a faixa situada abaixo da linha da pobreza. São famílias que têm seus direitos violados, estão em situação de violência, conflito ou institucionalização, que procuram ajuda no Sistema Único de Assistência Social. E como ele se organizou? Para chegar no estágio onde estamos hoje, teve que haver muita luta em prol do SUAS e da sua missão essencial de defender e proteger vidas, com garantia de proteções sociais, dignidade e segurança no viver. Na intermediação entre essa população e o acesso aos serviços e benefícios oferecidos pelo SUAS tem os trabalhadores, a quem destinamos todo respeito e consideração. Trabalhadores que devem produzir acolhimento, escuta qualificada e resolutiva, e que estão na linha de frente do enfrentamento da pandemia, e de todas as mazelas que ela está trazendo consigo, colocando as suas vida em risco para proteger ouras vidas”, disse Lêda.

Para a secretária da SEIAS, as medidas adotadas para prevenir a doença em todo o país e no mundo geram impacto direto na população socialmente vulnerável, num cenário que aponta para a necessidade de unidade na luta de todos os movimentos sociais, gestores, conselheiros, trabalhadores e parlamentares, em prol do financiamento adequado das políticas públicas desenvolvidas no âmbito do SUAS para a proteção de direitos e redução de desigualdades. “Então, quero destacar a importância da criação desse movimento amplo, inclusivo, suprapartidário, que tem os objetivos de divulgar amplamente os princípios e atribuições do SUAS, lutar por mais recursos, seja na garantia do financiamento regular e automático do SUAS, seja pelos recursos extraordinários de enfrentamento à pandemia; pelo cumprimento da pactuação interfederativa; pela garantia do controle social e pela essencialidade dos serviços e benefícios prestados pelo SUAS”, defendeu Lêda Couto.

Última atualização: 28 de agosto de 2020 17:25.

Pular para o conteúdo