Prato do Povo já entregou 300 mil refeições em 21 municípios sergipanos

Programa celebra primeiro ano de lançamento no dia 7 de julho

Neste mês, a Secretaria de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania (Seasic) alcançou o marco de 300 mil refeições entregues pelo programa Prato do Povo, que celebra o seu primeiro ano de lançamento no dia 7 de julho. A ação tem como objetivo assegurar a alimentação da população mais vulnerável devidamente cadastrada no Cadastro Único (CadÚnico) e dentro do recorte de pobreza. 

A secretária de Assistência Social, Inclusão e Cidadania, Érica Mitidieri, destaca sua alegria em ver o programa avançando. “Eu fico muito feliz em ver que alcançamos o número de 300 mil refeições entregues. Isso significa avanço e que as famílias realmente estão sendo beneficiadas com o Prato do Povo, que estamos conseguindo colocar comida na mesa dos sergipanos e trazer uma segurança alimentar mais atenciosa para a população. Em breve, estaremos em mais municípios, ampliando o programa pelo nosso estado”, comemora a secretária. 

O programa contemplou 21 municípios sergipanos em sua primeira fase: Cumbe, Gracho Cardoso, Canhoba, Pedrinhas, Santana do São Francisco, Muribeca, Ilha das Flores, Feira Nova, Pedra Mole, Arauá, Macambira, São Miguel do Aleixo, General Maynard, Pinhão, Telha, Siriri, São Francisco, Santa Rosa de Lima, Itabi, Malhada dos Bois e Nossa Senhora Aparecida. O Prato do Povo teve um investimento de mais de R$ 22 milhões e segue ofertando cerca de 200 refeições diariamente.

Moradora do município de Macambira, Clarice do Nascimento é beneficiária do Prato do Povo e destaca o quanto o programa contribui em seu dia a dia. “Para mim, o programa está sendo muito bom, porque na minha casa são sete pessoas. Eu ganho quatro quentinhas e estou muito feliz, tanto eu como as outras que estão recebendo todos os dias essas refeições”, enfatiza. 

Prato do Povo nos municípios

O município deve seguir algumas condições para ser contemplado pelo programa, dentre elas a necessidade de 20% dos alimentos adquiridos virem dos fornecedores da agricultura familiar, o que fortalece a produção rural do estado. Além disso, a empresa responsável pelo preparo das refeições precisa estar instalada no município beneficiado; o município também deve ter o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional ativo e disponibilizar equipe técnica, que será responsável pela vistoria do restaurante que servirá as quentinhas.

As refeições são oferecidas seguindo a ordem de chegada e entregues de acordo com a composição familiar. Cada refeição pesa, em média, 630 gramas e contém uma proteína, dois acompanhamentos, uma guarnição e salada, além de suco e sobremesa. Não é permitido o consumo da refeição nas dependências do estabelecimento, e o horário de distribuição prossegue de acordo com a disponibilidade das refeições.

Última atualização: 26 de junho de 2024 15:41.

Pular para o conteúdo