Governo de Sergipe discute direito à renda e impactos do novo Bolsa Família durante encontro de gestores da assistência social

Evento foi promovido pela Federação dos Municípios do Estado de Sergipe em articulação com o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome

A Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (Seasc) participou, nesta quinta-feira, 14, do Encontro de Gestores da Assistência Social. O evento foi organizado pela Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames) em articulação com o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e teve como tema: ‘Direito à renda, atuação Intersetorial e Impactos do Novo Bolsa Família”. 

O encontro reuniu prefeitos, prefeitas e gestores da assistência social dos municípios sergipanos para debater e trocar experiências sobre as políticas de renda, sanar dúvidas e oferecer orientações sobre o Novo Bolsa Família e Cadastro Único, além de fortalecer a proteção social e aprimorar a integração de serviços e ações sociais nas comunidades. 

A secretária de Estado da Assistência Social e Cidadania, Érica Mitidieri, falou sobre a importância do evento para fortalecer a parceria entre os entes federativos. “É um encontro muito relevante para a construção e diálogo coletivo sobre a política de assistência social. Esse momento que estamos vivendo é de reconstrução, é de fortalecimento da política do SUAS e de grandes discussões em seus diversos temas. Somente trabalhando em conjunto conseguiremos ofertar uma política pública de qualidade, que atenda às necessidades e garanta os direitos da população em situação de vulnerabilidade”, analisou. 

A gestora contou que a Seasc já desenvolve um trabalho de acompanhamento e apoio técnico com os municípios. Os atendimentos podem ser solicitados pelas gestões municipais por meio dos contatos oficiais da Vigilância do Cadastro Único e Bolsa Família que ocorrem em formato híbrido, tanto on-line, quanto presencial.   

A secretária Nacional de Renda e Cidadania, Eliane Aquino, frisou que o Programa Bolsa Família deve andar em conjunto com as outras políticas públicas. “Nós queremos, cada vez mais, fazer com que o Bolsa Família não seja a política social. Ela é um complemento. Ela é um benefício para tirar aquela pessoa, aquela família, da situação de muita vulnerabilidade. As outras políticas – saúde, educação, assistência, trabalho – precisam chegar perto dessa família. O programa Bolsa Família é um dos pilares, mas ele sozinho não transforma. O que nós precisamos é qualificar, é ter a política mais focada e fortalecer a parceria entre os entes federados. Na hora que conseguirmos fazer esse recurso chegar realmente nas pessoas que mais precisam, a gente melhora o cadastro e recupera o que ele já foi um dia”, declarou. 

O superintendente da Fames, Gleidson Oliveira, destacou que a Federação tem como objetivo capacitar os servidores públicos e que essa ação acata as demandas dos secretários municipais. “A Fames sempre teve esse objetivo de capacitar os servidores públicos, esse pedido dos secretários municipais e assistenciais para que a gente pudesse sincronizar as informações e ver como é que todos juntos podem ajudar. Agora com as dúvidas sanadas e com as explanações os prefeitos e os secretários vão poder voltar ajudar na compreensão da onde estão os erros, onde estão os problemas, e poder assim resolver com suas equipes técnicas.” 

Última atualização: 18 de setembro de 2023 17:32.

Pular para o conteúdo