Cultura e Arte da Barra dos Coqueiros ocuparam o Espaço Zé Peixe no fim de semana

O espaço Zé Peixe recebeu, no último fim de semana, a primeira edição da Mostra “Barra dos Coqueiros é Coisa Nossa”, com feira de artesanato, gastronomia, apresentações de manifestações folclóricas, dança, música e artes visuais de artistas da ilha. O evento foi realizado em parceria entre o Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência Social e Trabalho (Seit), e a prefeitura da Barra dos Coqueiros, com o objetivo de promover e valorizar a cultura sergipana.

Durante o evento, os artesãos expuseram trabalhos feitos com matéria-prima originária da ilha. A artesã Andréia da Silva Santos conta que a Associação de Artesãos da Barra dos Coqueiros existe há 11 anos. “Temos aqui trabalhos feitos em coco, renda de filé, crochê e muita variedade. Este espaço é de suma importância. Não deixamos a nossa arte se apagar, vivemos na resistência. Essa é uma oportunidade para divulgar o nosso trabalho, fomentar a cultura e a economia, e dar visibilidade para os artistas”, disse Andréia, que é presidente da Associação.

A artesã Maria José, conhecida como Lia, é cofundadora da Associação de Artesãos da Barra dos Coqueiros. Ela aprendeu a fazer artesanato há 48 anos. “Como muitas mulheres faziam artesanato na Barra dos Coqueiros, tivemos a ideia de montar a associação e até hoje estamos na resistência. Aprendi ponto de cruz e rendendê com 12 anos, e agora faço também crochê. Contar com espaços como este é muito importante, pois nós vivemos do artesanato. Então procuramos sempre estar presente em feiras divulgando os nossos trabalhos”.

O jovem artesão João Lucas, de 26 anos, produz fontes de água com bambu. Filho de artesã, ele conta que também seguiu o caminho da arte por acreditar que ela ressalta a beleza da vida. “Eu tive atração principalmente pelo artesanato natural, com palha, côco, bambu, utilizando a matéria prima que a ilha nos dá. A Barra dos Coqueiros é repleta de muita cultura, tenho orgulho de dizer que sou artesão. Participar deste evento e contar com este espaço é muito importante para nós, pois além de ser uma mostra é também um resgate cultural. Momentos assim mostram a importância de manter a nossa cultura viva”, pontuou.

A secretária administrativa de Turismo da Barra dos Coqueiros, Vanessa Freire, destacou que a parceria com o Estado favorece a visibilidade de um dos principais atrativos turísticos do município: o artesanato. “O turismo na Barra vem crescendo gradativamente. Os artesãos fomentam a cultura da nossa cidade, então apoiamos bastante e criamos cada vez mais eventos para eles poderem produzir e mostrar ao público os seus talentos. Ter essa parceria com o Governo do Estado é muito favorável e rico, para que possamos apresentar as produções e receber as pessoas, e assim criarmos renda para o nosso município”.

A mostra cultural “Barra dos Coqueiros é coisa nossa” surgiu de um desejo de relembrar um pouco da história da cidade, como conta a cerimonialista da secretaria de Governo da Barra dos Coqueiros, Marina Menezes. “Este lugar, que hoje é o Espaço Zé Peixe, tem uma representatividade muito forte para nós, pois era daqui que atravessávamos para ir de Aracaju para a nossa cidade. Além de também ser aqui um mirante onde podemos contemplar a Barra dos Coqueiros. Esse espaço tem um grande valor sentimental e histórico para a nossa cidade, que é repleta de diversos grupos folclóricos, danças, cantores, artesãos e temos ainda a travessia de Tototó, que é um patrimônio imaterial do nosso Estado”.

Segundo o produtor cultural do Espaço Zé Peixe, Guga Viana, a proposta é que o evento aconteça mensalmente, trazendo as artes de outros municípios sergipanos. “O Governo do Estado abriu as portas para receber a prefeitura municipal da Barra dos Coqueiros com esse evento cultural. Tivemos o artesanato barrense, a gastronomia, músicos aclamados do nosso Estado que moram na Barra dos Coqueiros e exposição de artes plásticas, representando grupos folclóricos. Este projeto também visa contemplar outras cidades. Primeiro as mais próximas, como São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro, e depois as demais. É uma forma de a gente divulgar o que acontece em nosso Estado e valorizar a nossa cultura”, afirmou.

Um dos grupos folclóricos que se apresentou foi o Grupo das Mangabeiras, formado por 26 mulheres. O coreógrafo do grupo, Erê Braz, conta que a proposta é difundir a cultura popular. “Há seis anos o Grupo das Mangabeiras vem se apresentando, já participamos de vários encontros culturais e festivais nessa trajetória. O grupo foi fundado para fazer uma representação das mulheres. Utilizamos as músicas das catadoras de mangaba e montamos coreografias para difundir as danças folclóricas na Barra dos Coqueiros”.

Na programação musical, o evento trouxe apresentações de Doca Furtado, Jan e Beskua. Já nas artes visuais, seis exposições tomaram conta do Espaço Zé Peixe, com mostras dos artistas plásticos Antônio Soares, Paulo Roberto Menezes Prudente, Manuel Antônio, Antônio Carlos Pereira Santos, Kleber Souza Leite e Maria Góes.

|Fotos: Pritty Reis

Última atualização: 18 de setembro de 2019 12:23.

Pular para o conteúdo