Conselho Estadual da Assistência Social orienta conselheiros municipais representantes de usuários do SUAS sobre controle social

Encontro virtual contou com a presença e palestra da vice-presidenta do Conselho Nacional de Assistência Social, Aldenora González

Com o objetivo de orientar os Conselhos Municipais de Assistência Social (CMAS) de Sergipe, o Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS) realizou a sua quarta Reunião Ampliada de 2020 na última quarta-feira, 26 de agosto. Mais de 60 conselheiros municipais das cinco macro regiões de Sergipe participaram do evento. O encontro aconteceu através de videoconferência e teve como principal tema “Usuários e organizações de usuários do Sistema Único de Assistência Social – SUAS: participação e atuação no controle social”, com a apresentação de questões acerca do tema, apontadas pela vice-presidenta do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), Aldenora González. Durante toda a manhã, a palestrante abordou o protagonismo dos usuários no exercício do controle social e as estratégias de mobilização desses usuários.

A presidente do CEAS, Kátia Ferreira, ressaltou a escolha dos temas buscando o diálogo mais próximo com os municípios. “O objetivo do Conselho Estadual de Assistência é andar lado a lado com os Conselhos Municipais, principalmente nesse momento de pandemia, em que não poderíamos deixar de lhes assessorar através do nosso apoio técnico. E hoje, no nosso quarto encontro, pensamos no protagonismo do usuário no exercício do controle social como tema principal, pois nossa função é de orientar os segmentos que representam o colegiado municipal, nesse momento com foco nos usuários da política de Assistência, sobre como participar e exercer o controle social. Muitas vezes os usuários não sabem ao certo o que é o controle social, por não conhecer a política pública ou nunca terem participado de uma capacitação. Por isso, planejamos essa reunião, pensamos especificamente para esse público formado pelos representantes dos usuários das políticas de Assistência”, pontuou Kátia Ferreira.

A palestrante e vice-presidenta do CNAS, Aldenora González, parabenizou a iniciativa e destacou as necessidades em seguir com a ampliação desses debates junto aos conselhos municipais. “Essa é uma grande estratégia de mobilização, estimular a participação, nos manter ativas, sobretudo em período de pandemia, em que estamos em isolamento social. Eu trouxe aqui um debate sobre o protagonismo dos usuários no exercício do controle social do SUAS, protagonismo que significa direito de participação. É preciso fortalecer os espaços de diálogo entre trabalhadores, usuários e entidades. É necessário que os Conselhos tenham capacidade de estimular a participação dos usuários nos espaços de deliberação, fiscalização e controle social das políticas públicas. Além disso, é importante, pensar que a adesão da população usuária ainda é limitada, por isso, o nosso desafio é garantir a participação efetiva do segmento, em particular nos Conselhos e conferências. É necessário qualificar as intervenções e valorizar os grupos existentes. Sendo assim, espaços de diálogo como esse são fundamentais para fortalecer e ampliar o debate em nosso trabalho”, disse.

Muitas dúvidas e questões foram levantadas pela audiência, composta por conselheiros e suplentes de diversas regiões de Sergipe. Para Lucas dos Santos, conselheiro do município de Japoatã, o evento reafirmou a importância do papel dos conselheiros. “Nós, que somos também usuários, somos protagonistas nas políticas da Assistência, inclusive, somos nós que defendemos os serviços, cobramos das gestões, então, é fundamental esse ciclo de diálogos, pois a partir dele, estarei mais atento sobre o meu papel e a importância dele nos espaços em que essas políticas são discutidas e aplicadas”, afirmou.

Ana Lúcia Santos, representante dos usuários do SUAS no CEAS e conselheira suplente de Aracaju, explicou que a reunião significou um momento crucial de aprendizado. “Foi muito bom saber que nossa atuação na comunidade é relevante, que fazemos o controle social. Quando escutamos, vemos que estamos fazendo o controle da forma certa. É muito gratificante a gente ter esse espaço pra nos ajudar, pra colaborar. Pra mim foi uma aula. Não basta a gente saber, mas temos que entender, para poder praticar, aplicar, e esses espaços representam isso para nós. Eu aprendi muito hoje”, concluiu Ana Lúcia.

Última atualização: 27 de agosto de 2020 18:40.

Pular para o conteúdo