Bate-papo sobre Importunação Sexual e apresentações movimentam Espaço Cuidar do Santa Maria

Foto: Pritty Reis

Para conscientizar a população sobre a importância do respeito às mulheres, sobretudo em épocas festivas, um bate-papo sobre “Importunação Sexual” aconteceu na tarde da última quinta-feira (27), no Espaço Cuidar do bairro Santa Maria. O evento foi realizado pela secretaria de Estado da Inclusão Social – SEIT integrando as ações da campanha “Todxs por Todas”, e também contou com apresentações da quadrilha Rosa dos Ventos [Catadoras de Mangabas], da quadrilha Pé Embaixo e do grupo teatral Eita! [ambos do Centro de Excelência Vitória de Santa Maria].

Foto: Pritty Reis

Segundo a organização, o bate-papo buscou sensibilizar a comunidade e fazer com que as mulheres sintam-se à vontade e seguras para falar sobre as situações de violência pelas quais passam. “Trouxemos a Lei de Importunação Sexual (Lei nº 13.718/2018) e debatemos temas como tipos de violência, sexismo, machismo, feminismo e feminicídio. Dentro desse universo da agressão à mulher – seja ela verbal, moral, patrimonial ou física -, precisamos entender todo o ciclo. O Estado cumpre o papel de conversar diretamente com a comunidade, sobretudo propondo um debate de mulher para outras mulheres – mas também recebemos homens na construção desse espaço misto de diálogo”, explicou a referência técnica de políticas públicas para Mulheres da Seit, Linei Pereira.

Foto: Pritty Reis

Ela também revela que a conversa também serviu para explicar o chamado ‘passo a passo da violência’ que, segundo ela, possui diversas características. “A mulher é sempre surpreendida por situações inusitadas e agressivas. Nossa campanha visa conscientizar que um puxão de cabelo, um beijo forçado ou algo parecido é crime, sim, com pena prevista de 1 a 5 anos de reclusão, e precisa ser denunciado. Além de informar, queremos sensibilizar os homens sobre essas atitudes serem erradas e as mulheres precisarem se sentir seguras. O consentimento é tudo. Então, buscamos reforçar tais questões para que o homem saiba respeitar as mulheres e, com isso, elas possam se divertir sem qualquer tipo de importunação”, acrescentou.

O promotor de eventos Michel Ferreira foi um dos homens da comunidade que participaram da roda de conversa, e afirmou que ela serviu para que ele pudesse compreender mais sobre igualdade de gênero. “Nós, homens, precisamos aprender que a mulher tem o mesmo direito que a gente e temos que respeitar mais as decisões delas. Eu acho isso muito importante e o bate-papo me fez aprender muitas coisas”, contou.

A professora Maria Carneiro também esteve presente, e afirmou que o tema escolhido é sempre atual e necessário. “A discussão foi importantíssima, é um assunto que se faz presente em todos os momentos e gerações. O jovem tem vivido coisas novas e o avanço dos debates sobre este assunto é um exemplo dessa evolução. Às vezes, a mulher entra numa relação com um sonho, mas a realidade pode ser diferente. Quando ela tem esses conhecimentos e sabe o que fazer ou a quem recorrer, tudo pode ser resolvido mais facilmente”, destacou.

De acordo com o diretor de Inclusão e Promoção de Direitos da Seit, João Martins, a ideia do bate-papo veio da série de ações de conscientização dentro do contexto das festas juninas, tendo em vista que essa manifestação cultural tem grande relevância no Estado. “Nossa ideia é fazer com que a campanha ‘Todxs por Todas’, iniciada em março, seja permanente, trazendo à tona as questões ligadas ao enfrentamento à violência contra mulher. A discussão aqui também trouxe união de uma população tradicional, através da apresentação da quadrilha Rosa dos Ventos, que representou as Catadoras de Mangaba, com as mulheres desta comunidade. Além disso, vemos aqui a oportunidade de mostrar as ações intergeracionais que fazem parte do nosso Espaço Cuidar do Santa Maria”, concluiu.

Última atualização: 28 de junho de 2019 10:32.

Pular para o conteúdo