Socioeducandos de unidades da Fundação Renascer realizarão o Encceja PPL em Sergipe

Cerca de 100 adolescentes em privação de liberdade prestarão exame em outubro

Jovens vêem oportunidade de mudança no Exame para Certificação de Competências

Os adolescentes acolhidos pela Fundação Renascer do Estado de Sergipe realizarão, nos dias 08 e 09 de outubro, o Exame Nacional para Certificação de Competências para Jovens e Adultos em Unidades Prisionais e adolescentes em Medidas Socioeducativas de Privação de Liberdade – Encceja PPL. O exame possibilitará aos 103 adolescentes inscritos a certificação de ensino fundamental e/ou de ensino médio.

De acordo com a coordenadora de Atendimento Socioeducativo da Fundação Renascer, Elaine Santana, os adolescentes que integram o sistema de semiliberdade já fizeram as provas para o público em geral, no Encceja Regular, no último dia 25 de agosto. “Todos os inscritos foram e estão sendo preparados através de um programa de revisões em todas as áreas de conhecimentos contidas no edital, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação – SEDUC, através do Serviço de Educação de Jovens e Adultos – EJA, e da Divisão de Exames e Certificação – DIEX”, conta Elaine.

Neste ano, a Fundação Renascer fez adesão ao sistema do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e realizou a inscrição de 103 socioeducandos da Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip), do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), da Comunidade de Atendimento Socioeducativa Masculina (Casem) e da Unidade Socioeducativa Feminina (Unifem).

O jovem F.J., de 18 anos, acolhido pela Comunidade de Atendimento Socioeducativa Masculina (Casem), acredita que esta será uma oportunidade de mudança em sua vida. “O Encceja nos dá uma nova possibilidade de escolha, que muitas vezes não temos. Como estamos em ambiente privado de liberdade, acabamos pensando em muitas coisas ruins. Essa proposta de ressocialização que o CASEM nos proporciona ajuda bastante a pensar, a querer estudar e fazer algo diferente em nossa vida, e o professor traz uma motivação a mais. Se a gente tentar, a gente consegue mudar o rótulo que temos na sociedade”, afirmou o jovem, esperançoso.

|Foto: Pritty Reis

Última atualização: 27 de agosto de 2019 11:47.

Pular para o conteúdo