Governo de Sergipe debate ações da rede de prevenção para conscientização contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Evento faz parte da campanha nacional ‘Faça Bonito’, alusiva ao Maio Laranja

Fotos: Erick O’Hara

Na última sexta-feira, 24, o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania (Seasic), reuniu gestores públicos estaduais e municipais e representantes do Ministério Público de Sergipe (MPSE), Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e sociedade civil para participarem da mesa redonda das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – Aepeti. O intuito foi debater as ações em rede para a prevenção do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. A ação foi realizada no auditório do Ministério Público de Sergipe (MPSE).

O evento faz parte da campanha nacional ‘Faça Bonito’ – alusiva ao Maio Laranja, mobilização de Prevenção do Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes -, e foi voltada para representantes do Programa Criança Feliz, dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), conselheiros tutelares, unidades de Acolhimento de Execução Direta, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e secretários municipais de Assistência Social.

A secretária de Estado da Assistência Social, Érica Mitidieri, destacou a importância da somação de esforços do poder público e toda a sociedade no cuidado e atenção às crianças e adolescentes. “É importante trazer essa integração entre todas as pastas do Estado, municípios, conselhos, porque é uma ação coletiva. É preciso promover a conscientização para que a gente consiga que nossas crianças sejam protegidas, respeitadas e tenham seus direitos garantidos”, afirmou.

O vice-governador e secretário de Estado da Educação, Zezinho Sobral, lembrou que na Educação, o Governo de Sergipe implementou o Programa de Acolhimento Psicossocial nas Escolas Estaduais de Sergipe (Acolher), que também tem ajudado a identificar e proteger possíveis vítimas de violência. “É um programa vanguardista. Sergipe foi o primeiro estado do Brasil a adotar uma presença real destes profissionais na escola. E isso trouxe à tona situações que puderam receber o tratamento devido da rede, com os municípios, com o Ministério Público, com o Conselho da Criança e do Adolescente ou Tribunal de Justiça. Assim, a gente proporciona um amparo, uma forma de trazer esta criança para um ambiente onde ela possa ter o conforto e a proteção necessária”. 

Segundo o delegado do Departamento de Atendimento aos Grupos Vulneráveis – DAGV, Ronaldo Marinho, o evento foi importante para disseminar conhecimento sobre o tema, mas principalmente chamar atenção para o problema que é atual e grave. “ A gente precisa ampliar a permanência e as articulações em rede para proteger crianças e adolescentes. Os casos têm aumentado e é importante que a gente tenha a compreensão do fenômeno para poder trabalhar políticas públicas para enfrentar o problema”.

O procurador-geral de Justiça, Manoel Cabral Machado Neto, reforçou o papel da rede nos serviços prestados à população, especialmente aos mais vulneráveis. “O Ministério Público é um protagonista desta atuação. Nós estamos aqui para resolver problema das pessoas. A gente precisa descer da rigidez dos cargos, das formalidades e se somar nessa caminhada, ouvir, dialogar, descobrir onde estão as dificuldades para que a gente possa avançar”, pontuou. 

Willian Eleuterio Azevedo, de 17 anos, que representa o Comitê de Participação de Adolescente de Sergipe, enfatizou a importância da campanha ‘Faça Bonito’ e de iniciativas coletivas para a construção do presente e do futuro. “O 18 de Maio é um dia de luta, conscientização e combate a essa violência. Quero reforçar a importância do fortalecimento da rede, dos conselhos tutelares, de ter assistentes sociais e psicólogos nas escolas, porque sabemos que a criança e o adolescente ficam mais tempo na escola. Precisamos também falar que a criança e o adolescente não são só o futuro somente, são o presente e também foram o passado, porque antes de nós várias crianças e adolescentes passaram por violência e não chegaram no hoje. Antes de falarmos do futuro, precisamos falar do presente porque as crianças que estão hoje passando por violência podem não chegar ao futuro que estamos sonhando”, alertou o jovem do município de Santo Amaro das Brotas, que também é membro do membro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – Conanda.

Presenças 

Ainda participaram do evento o secretário Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação (Seplan), Julio Filgueira; o diretor de Atenção Primária à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Luan Araújo; a assistente social da Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e especialista em Violência Doméstica, Maria de Lourdes Moreira; a vice-presidente do Fórum Estadual dos Juízes da Infância e da Juventude do Estado de Sergipe – Foeji, Juliana Nogueira Galvão Martins; o vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Eudes de Oliveira; representando o Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, Maria José de Souza Batista Santos; o presidente do Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas), Ricardo de Santana Marques e representando os Conselhos Tutelares do estado, Douglas Santana.

Fotos: Erick O’Hara
Fotos: Erick O’Hara
Fotos: Erick O’Hara

Última atualização: 27 de maio de 2024 08:51.

Pular para o conteúdo