Governo conclui entrega mensal de alimentos a soropositivos assistidos pela Casa de Assistência Janaina Dutra

Contribuindo com a segurança alimentar e nutricional de 500 pacientes, benefício foi entregue seguindo medidas preventivas à Covid-19

Durante esta semana, 500 beneficiários soropositivos assistidos pela Casa de Assistência Janaína Dutra receberam suas cestas de alimentos. Para proporcionar segurança alimentar e nutricional aos pacientes, que se encontram em tratamento no Centro de Especialidades Médicas de Aracaju (Cemar), a entrega é realizada de forma rotineira, todos os meses, pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS). Cumprindo as recomendações preventivas ao coronavírus, para evitar aglomerações, este mês, a entrega aconteceu no Lar de Zizi, em frente à Casa de Assistência (no bairro Luzia), e envolveu a disponibilização de luvas, máscaras e álcool em gel para os beneficiários.

Moradora do povoado Pedra Branca, em Laranjeiras, V.S. é uma das 500 pessoas de todo o estado que recebem o benefício mensal. “Essa cesta básica muito importante. Sempre venho aqui pegar, porque sem ela a vida seria mais difícil pra nós”. O servidor da saúde de Poço Verde, Maurílio Batista Santos, tem uma procuração que o autoriza a buscar o benefício para um conterrâneo. “Todos os meses, eu pego a cesta para o meu amigo e levo juntamente com o remédio dele, que também pego aqui na capital”, conta. A moradora do bairro Porto Dantas, em Aracaju, E.S.F., conta que essa é a alimentação da família. “É um auxílio que nos deixa despreocupadas, ainda mais pra mim, que tenho quatro filhos. Nesse período de pandemia, as cestas são uma mão na roda, porque a situação já está difícil para todo mundo”.

A presidenta da Casa de Assistência Janaína Dutra, Jéssica Taylor, conta que a mudança do local de entrega teve o objetivo de oferecer um espaço amplo para cumprir o distanciamento social e evitar aglomeração entre beneficiários. “Num momento como esse, é muito importante essas cestas básicas serem entregues para os portadores do vírus HIV. Mudamos o local de entrega para o Lar de Zizi por uma questão de segurança. Como a Casa Janaína Dutra é bem menor, não teríamos condições de manter as medidas de distanciamento adequadas para atender esses pacientes, que já vivem em situação de vulnerabilidade”, destacou Jéssica, também presidenta da Associação de Travestis Unidas na Luta Pela Cidadania.

Através de recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza – Funcep, a SEIAS realiza a compra das cestas de alimentos e as encaminha mensalmente para a Casa de Assistência Janaína Dutra que, por sua vez, fica responsável pela distribuição aos 500 beneficiários soropositivos. “A Secretaria de Inclusão e Assistência Social tem um termo de cooperação técnica firmado com a Casa Janaína Dutra. Sobretudo na pandemia, nossa preocupação foi manter a entrega regular para continuar garantindo a segurança alimentar e nutricional desse público, que precisa de um cuidado maior em relação à alimentação”, explica a assistente social da SEIAS, Thais Gonçalves.

Segundo a nutricionista Tatiana Canuto, coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional da SEIAS, além de 600g de leite em pó semidesnatado e 400g de aveia em flocos finos, os usuários recebem 2 kg de arroz, 2 kg de feijão, 2 kg de açúcar, 1 kg de sal, 4 pacotes de flocos de milho, 2 pacotes de macarrão, 1 litro de óleo, 1 pacote de biscoito doce, 1 pacote de biscoito salgado, 2 pacotes de café, 4 latas de sardinha, 1 pacote de leite em pó integral, 1 kg farinha de mandioca e 500 g de charque. “As cestas são compostas por 16 itens, entre os quais, alimentos que ajudam a minimizar os efeitos dos medicamentos antirretrovirais que, em longo prazo, podem causar perda mineral e alterações metabólicas diversas”, conclui.

Fotos: Alanna Molina

Última atualização: 9 de maio de 2020 08:39.

Pular para o conteúdo